O novo mundo exige carreiras modernas — como se adaptar a esse cenário?

0
154

Com a  revolução digital e o avanço de novas tecnologias, grande parte das profissões de hoje ficarão para trás. Entre as profissões do futuro, especialistas destacam engenheiros de drones, profissionais de tecnologia autônoma, big data e até mesmo designers de inovação. A mudança é inevitável. É neste cenário que os profissionais de agora devem desenvolver novas habilidades e competências para atender os anseios daqueles que, no futuro, vão exercer com muita força o poder de compra na sociedade.

Segundo Mauricio Benvenutti, sócio da StartSe, estamos vivendo uma convergência de várias inovações e a transformação de indústrias inteiras. Em uma nova realidade, habilidades do passado têm pouco valor. E isso praticamente força os profissionais a estarem sempre atualizados — não importa em quais setores atuem. “Os que não evoluem rápido correm o risco de serem deixados para trás”, ressalta. Com a pandemia causada pelo novo coronavírus e uma mudança de hábitos, perfil do consumidor e transformação de diversos negócios, esse cenário se tornou ainda mais evidente.

De acordo com o Fórum Econômico Mundial, aqueles que desejam prosperar em suas carreiras devem estar atentos a dez habilidades: resolução de problemas, pensamento crítico, gestão de pessoas, criatividade, coordenação, inteligência emocional, capacidade de julgamento, orientação para servir, flexibilidade cognitiva e negociação. Muitas delas se encaixam no que chamamos de soft skills, ou seja, competências comportamentais que complementam as habilidades técnicas.

Como colocar isso em prática?

O primeiro passo para fortalecer a carreira neste novo cenário é entender que vivemos em uma economia acelerada — e que passou por uma transformação ainda mais visível com o efeito COVID. Além disso, compreender que nos transformamos em empreendedores nessas últimas semanas é essencial para crescer.  Isso porque, em um cenário incerto, passamos a tomar decisões pensando no agora, no curto prazo — assim como donos de seus próprios negócios. Sendo assim, desenvolver atitudes empreendedoras são cruciais neste momento.

Harvard Business Review definiu algumas das características desses profissionais. De acordo com a publicação, o empreendedor é capaz de identificar oportunidades, construir networking, colaborar e orientar equipes. Além disso, esse perfil se sente confortável com as incertezas e tem visão e influência. Desenvolvendo essas habilidades, se torna muito mais fácil lidar com adversidades e com o momento atual.

Construir uma marca pessoal também é essencial para se destacar nesse movimento de reinvenção dos mercados. Segundo Benvenutti, todo profissional deve passar por esse processo. Para desenvolver sua própria marca, Mauricio destaca o que chama de 10 P’s: problema, perspectiva, pesquisa, priorização, preparação, personal branding, produto, prática, pacto e paciência. De forma simplificada, os dez passos resumem uma jornada que envolve entender que tipo de problema você resolve, se projetar nos próximos anos, identificar suas principais competências e se capacitar e estudar constantemente.

Foi pensando em ajudar profissionais a desenvolverem novas habilidades neste cenário que a StartSe, uma escola de negócios para quem quer transformar o futuro hoje, lançou o Fortaleça sua carreira, curso 100% online e ao vivo. Nele, os alunos aprendem com Benvenutti e outros grandes nomes do mercado como entender o novo mundo e as novas relações de trabalho e como desenvolver inúmeras competências técnicas e seu próprio plano de personal branding. Saiba mais e garanta sua vaga para a próxima turma!

Fonte: StartSe / Por: Isabella Carvalho

Use Coworking Banner

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui